Existem várias maneiras, vários métodos de se fazer Shiatsu. O Zen Shiatsu não é apenas mais um deles. Distingue-se por ter uma base teórica própria, desenvolvida especialmente para a sua prática. É uma técnica contemporânea, baseada numa ciência milenar. Sua “atitude” com relação ao cliente é atual, em linha com as terapias e trabalhos corporais modernos, que respeitam a inteligência de cada corpo e os sinais por ele enviados.

O Zen Shiatsu idealizado por Shizuto Masunaga não é uma técnica ortodoxa. Suas raízes estão no passado, sua cabeça no futuro. O Zen Shiatsu nunca agride o corpo. É um método que trabalha o corpo de forma profunda porém suave, provando ser a dor completamente dispensável para que a técnica do Shiatsu surta efeito máximo.

Masunaga nos diz: “Nesse ponto há muitas noções erradas com relação ao Shiatsu, que gostaria de esclarecer. Primeiro, não é verdade que o Shiatsu para ser eficaz requeira pressões fortes aplicadas com os polegares e dedos. Tampouco é verdade que doenças possam ser curadas pela mera pressão em certos pontos do corpo… Se você já teve alguma vez uma criança caminhando nas suas costas, saberá o significado de pressão natural. As crianças são inocentes e não exercem uma quantidade de pressão desnecessária. Daí, quando você usar sua palma, cúbito, ou joelho, esteja certo de utilizar uma quantidade natural de pressão.’ ”

O que o sistema de Masunaga tem a ver com o Zen? É uma questão de perspectiva. O propósito fundamental do zen-budismo é alcançar o estado de iluminação através do autoconhecimento. O Zen usa a meditação, mas não é a meditação. No Zen as respostas não podem ser racionalizadas, mas apreendidas através da meditação. Zen significa “abertura da mente para a presença do sinal celeste”, ou “a meditação que leva ao vislumbre”.

Da mesma forma, o Shiatsu usa a pressão dos dedos, mas seu significado transcende essas pressões. Nas palavras do próprio Masunaga: “Tanto no Zen como no Shiatsu lidamos com fatores que não podem ser explicados, racionalmente, mas que necessitam ser sentidos pelo corpo vivo.'” O princípio por ele enfatizado é que no Shiatsu, como no Zen, é importante estabelecer um “eco” de vida. Sentir a “resposta” dada pelo corpo do cliente quando pressionamos determinada área ou ponto. “Se você coloca sua mão num ponto e segue a linha dos meridianos com seus dedos, você poderá sentir o“eco” da vida…

Com a prática correta do Shiatsu intensifica-se o fluir de energia no praticante, no cliente, e entre ambos. Com isso cria-se um nível alterado de consciência. As possibilidades do Shiatsu no nível espiritual e emocional são muitas. O Zen Shiatsu trabalha com essas possibilidades.

Indicações:

  • A ideia básica é a de restaurar o funcionamento orgânico, e não a de tratar sintomas.
  • Equilibra o sistema energético do corpo, e cria a sensação de energia e bem-estar, “enfraquecendo” os sintomas presentes.
  • Diminuição da tensão (física e mental).
  • Excelente auxiliar no tratamento de diversos desequilíbrios e enfermidades.
  • É uma ótima terapia para dores de cabeça, esgotamento físico e mental, sensação de falta de energia, dores musculares e posturais, problemas digestivos, estados motivos, insônia, mal-estar físico ou psicológico sem causa definida, e uma série de outros pequenos distúrbios.