How, Grande Mistério!

Ancestral do Grande Espírito

Refletido em cada ser

No poder da criação

How, Mitakuye Oyasin!

Por todas as nossas relações

Pelas virtudes reveladas

Na pureza do Amor, a verdade essencial.

Corre o vento em pradarias

Cai a chuva nas colinas

Um trovão relampejou, clareando a imensidão das Direções do Urso Negro

How, Seres do Oeste!

Da quietude do silêncio, das cavernas da alma,

da escuridão que me

destes ao poder do despertar, da ignorância à claridade…

How, campos de Sálvia!

Doce fragrância de Wakan-Tanka

Seres do Norte, Mulher-Novilha,

Sublime consorte do Búfalo Branco

Condutora da Paz do Cachimbo Sagrado

Aos povos Sioux, por Ti revelado

Elevando a fumaça, envolta em preces

De gratidão e súplicas, rumo a águia Sagrada, mensageira da Luz

How, Seres do Leste!

De onde o Sol nasce

Antecipado pelas Estrelas da Manhã

Que recebe os poderes do Grande Espírito de Wakan-Tanka

Pondo fim à escuridão

Trazendo-nos a Luz do dia

Do conhecimento, da sabedoria

Para que possamos ver com clareza

E a nobreza do olhar

Dos olhos do coração…

How, Seres do Sul!

Da Terra vermelha, criança coiote

Que nos faz perceber os caminhos da dor

E nos faz renascer em Beleza e Amor

Destruindo a ilusão da imagem criada

Restaurando a inocência leveza do Ser

O sentido da vida, a razão do viver…

Ao Pai Céu

À Mãe Terra

Às outras Quatro Direções e às nossas relações

Toda a gratidão. Todo Amor

How, Mitakuye oyasin!

Tsiipré.