Raramente os Arcanjos se apresentam ou enviam mensagens aos seres por conexão mental direta ou plasmando-se numa “roupagem” semelhante ao da espécie do receptor, porém com maior esplendor.

Quando isso ocorre, acaba por explicar o fato de, eventualmente, videntes de todos os tempos verem os Arcanjos como humanos e vestidos segundo sua cultura e época.

No geral, os Arcanjos só atuam diretamente sobre nós de maneira puramente energética, no coletivo, através das egrégoras, que são formadas naturalmente por grupos de pessoas com semelhanças de propósito. Essa semelhança cria uma ressonância energética e magnética que acaba por unir estas pessoas, como um grande organismo.

De maneira indireta, porém mais individual, eles têm à disposição suas hierarquias de anjos que irão atuar sobre nós de maneira mais intuitiva, transmitindo-nos mensagens por sonhos ou desdobramentos.

E também existem os representantes espirituais, que atuam de forma bem particular, pois são humanos como nós, porém, devotados ao trabalho junto às hierarquias dos Arcanjos.

Procuremos então visualizar essa hierarquia: Deus, Arcanjos, anjos e espíritos humanos representantes. Aumentando o nível de detalhamento hierárquico, temos:

Cada Arcanjo tem consigo 8 Anjos Comandantes, que por sua vez coordenam uma quantidade enorme de Anjos Universais, que coordenam uma quantidade enorme de Anjos Planetários, que coordenam a ação dos Anjos-Guardiões individuais, que coordenam a ação dos mestres espirituais ligados a uma pessoa, que coordenam a ação dos guias e amparadores espirituais de uma pessoa, que auxiliam a própria pessoa e também influenciam positivamente às pessoas e circunstâncias da vida dela, para transmitir os recados divinos.

Essa descrição acima nos coloca a pensar sobre o quanto nós somos amparados e muitas vezes nem nos damos conta disso.

Mas, prosseguindo, devemos pensar em todos esses Anjos como Inteligências Divinas e não como seres espirituais. Eles são seres mentais luminosos e não corpóreos como as entidades espirituais ou seres elementares, apesar de por vezes se apresentarem aos videntes com formas semelhantes à humana, com o fim de facilitar a comunicação.

Esses Anjos nunca interferem diretamente no dia-a-dia das pessoas, a não ser que sejam evocados através de orações ou através da magia.

Abaixo dos Anjos Planetários, que estão na 8ª Esfera, existe uma hierarquia humana de representantes que se estende desde o 7ª até o 1ª nível vibratório ou Esferas Humanas.

No topo dessa hierarquia estão os Mestres Ascencionados. Logo a seguir estão os Mestres Teurgos de Ordem Superior e, mais próximos a nós estão os guias e mentores espirituais, verdadeiros obreiros que, ao mesmo tempo fazem parte de outras hierarquias espirituais, seja do espiritismo, da umbanda, do judaísmo, do cristianismo, etc., também trabalham ligados aos Arcanjos.

É interessante pensar que um preto-velho, ligado à umbanda, também pode ser membro da hierarquia de Miguel ou Raphael, por exemplo. Mas é exatamente isso que acontece na prática.

Por consequência, também existem Iniciados que estão encarnados, alguns ligados a religiões e outros não, com as mais diversas profissões, mas sempre com uma coisa em comum: o trabalho que auxilia ao coletivo e não somente a si ou aos seres humanos. Todos os esses Iniciados, estejam conscientes ou não disso, se envolvem com questões materiais cujo resultado do trabalho é beneficiar sustentavelmente à Criação Divina.

Assim, nas Hierarquias dos Arcanjos, existem espíritos encarnados que já vieram com a missão de auxiliar a humanidade nesse momento de transição e, a partir deste nosso trabalho existirão muitos outros Iniciados.  É certo que também existem Iniciados em outras dimensões paralelas à humana, mais sobre esse assunto não nos é permitido discorrer abertamente.

Os espíritos Iniciados dos Arcanjos, estejam desencarnados ou encarnados, são conhecidos pelo nome de ISHIM, que são na prática os guardiões e representantes desses Mistérios Divinos.

Fonte: Daniel Souza – O Arcangelismo – Ética Espiritual do Novo Milênio