O fogo é a nossa essência, vem das estrelas, e é às estrelas que nossas essências retornarão. A Terra é a Mãe, que nos concedeu nossos corpos. Após nossa caminhada pela Terra, nossos corpos a ela retornarão. Nossos espíritos pertencem ao vento, assim como nossa respiração. Nossas palavras são aquilo que respiramos, e é por isso que são sagradas.

Cada passo da jornada dado na Boa estrada Vermelha constitui uma experiência pessoal que exige plena atenção. Cada conhecimento adquirido constitui um passo adiante e significa uma pedra a mais, utilizada na construção da Grande Roda de Cura. Nós nos encontramos aqui para aprender uns com os outros, para viver harmonicamente todos os nossos relacionamentos, para expressar os nossos talentos como indivíduos, e para curar a nós mesmos e à nossa Mãe Terra.

A profundidade de qualquer tipo de ensinamento depende sempre do nível que o estudante deseja explorar ou tem capacidade de alcançar. Como costuma acontecer, as Águas mais calmas correm nas profundezas.

Sou, simplesmente, um companheiro de viagem que compartilha a jornada nesta Boa Estrada Vermelha com todos vocês.

Sinto que quanto mais conhecermos uns aos outros e entendermos todo o nosso Universo, mais fácil será recriar aqui o Unimundo do qual somos todo nós originários. Foi o Grande Mistério que introduziu o Sopro da Vida em nosso mundo físico, nos concedeu dons e talentos e fez com que cada forma de vida se tornasse parte integrante de um Todo Perfeito. Esta criação foi toda baseada no Amor. Agora, é tempo de recordar que o Universo pode voltar a ser reunido por esta mesma essência, pela energia do Amor Incondicional, para o Unimundo possa voltar a se manifestar.

Que o caminho seja alegre e repleto de abundância!

Da’Naho! (Assim seja!), Quatro Ventos e Muita Sabedoria….

Hancoka Olowampi – (Canção da Meia Noite) – Jamie Sams