Você está começando a embarcar em uma viagem para o mundo das “Rodas e das Chaves”. Se você tem um caminho linear, ajuste seu processo de pensar e engaje-se na criativa aventura de pensar em círculos…

As Rodas são uma maneira de recordar , compreender e decodificar conhecimentos que estão assentados como camadas que se vê nos perfis das montanhas mais antigas do Planeta. Elas nos levam a uma percepção do tempo, de maneira multidimencional, de um dado instante; são como mapas cognitivos e ferramentas que ampliam nossa compreensão. As imagens de nossos sonhos, quer estejamos acordados ou dormindo, tornam-se claras e coloridas.

Quando utilizamos essas Rodas e Chaves para nosso crescimento pessoal e transformação, elas são armas, que conquistam os inimigos que habitam dentro da gente, tais como o medo do desconhecido que às vezes nos impõem padrões e sistemas de educação e crenças para uma interpretação literária e intelectual do que se passa, tirando as força de nosso poder pessoal e levando-nos a uma velhice prematura. Algumas são como mapas, explicando qual a melhor maneira de viver a realidade de nosso cotidiano; outras, são como pinceladas azuis em torno do quadro de nossa realidade espiritual.

Os conhecimentos contidos na Rodas são as Chaves para a sabedoria e a iluminação, afastando ilusões, fantasias e pensamentos lentos, levando-nos direto à iluminação , ou seja, às imagens em ação. Não precisamos então, aguardar um stress ou uma reação do mundo fenomenal para termos respostas.

A “arte do cerimonial” nos leva a resgatar o antigo e o verdadeiro segredo de nossos atos, a experimentarmos dimensões do tempo, das quais estávamos completamente esquecidos, a vivenciarmos a ancestralidade das profundas raízes de nossa árvore da vida; recordando nosso “sonho real” sem nenhuma culpa, vergonha ou medo de caminharmos nosso destino e realizarmos a coreografia da dança universal que tem como percussão o pulsar de nossos corações num ritmo de quatro tempos.

O mundo em que vivemos é definido pelos poderes das quatro direções e estabilizados pelos quatro elementos; o estilo de vida, pelas quatro estações, refletido em nossos corações, mente, corpo e alma, seja interna ou externamente, manifestando seus poderes e beleza em todas as nossas relações.   

A “Roda de Medicina”, “Roda da Vida”, “Mandala”, “A Grande Espiral” ou qualquer outro dos muitos nomes que lhe são atribuídos, se manifesta puramente em suas princípios básicos, comuns a todas as tradições, através dos “Poderes das Sagradas Quatro Direções” tocando-nos de maneira visível ou  simplesmente oculta.

Trilhando os Caminhos do Guerreiro, do Mestre, do Curador e do Visionário para um espaço seguro e protegido onde podemos nos comunicar diretamente, ouse ja abrir e conversar com nossos corações. Hoje, em nosso mundo transcultural, além de todos os “irmos”, no “aqui e agora” que é formado por todos os “nossos ontens” e que será o nosso amanhã; na busca de nosso poder e do reconhecimento de quem somos, de onde viemos, para onde vamos, o que estamos fazendo aqui e como transformar todas as nossas relações equilibradas, corretas, belas e harmoniosas.

Trilhando este caminho, desta doce medicina, podemos vivenciar que nada este separado, que cada um faz parte do outro, o Guerreiro, o Mestre, o Curador e o Visionário, que cada um é uma roda, um espelho para o outro, que a roda é o próprio universo.

Que neste tear de todas as nossas relações, a urdidura são nossas vidas, e os tons e cores que tecemos são nossos destinos.

Fonte: Zezito Duarte – José Duarte Filho – Apresentação do Caminho Quadruplo de Angels Arrien.