Os vistosos adornos de coloridas plumas já não disfarçam nossa realidade…

Todavia as roupas que hoje usamos não cobrem nossa identidade.

Não queiram nos ver apenas como exóticos ou cobaias para pesquisa;

Não somos fósseis, tampouco somos párias…Somos seres humanos

Como vocês, com os mesmos sentimentos!

Reflitam sobre a história de nosso povo, que há milhares de anos habita este continente, tão afetado pela saga dos massacres, pelas fúrias epidêmicas na ambição dos forasteiros. Somos explorados pelo turismo imprudente, pela violação de nossos direitos e por enganosos cartões-postais…

As criminosas motosserras operam em nome da civilização…

O mesmo nome que a séculos nos vem dizimando, diluindo nossa cultura e nos chamando de selvagens indolentes.

Apesar de tudo, continuaremos existindo, lado a lado com o rio, a mata e os animais, que sempre foram nossos amigos e aliados até mesmo no próprio destino…

Juntos invocaremos as forças de nosso Deus, Nhanderu, e dos feitos heróicos de nossos ancestrais, para que nos fortaleçam na derrota aos invasores

Caso contrário, resistiremos até o final…até o derradeiro dia do último guerreiro, que, agonizante, entoará, na canção da morte, a memória de nosso povo, perdida para sempre.

Luiz Felipe Tsiipré – 1982 – Para os Índios Guarani