Através de sua hierarquia de espíritos (diferente da hierarquia de anjos), o Arcanjo Miguel vem incentivando e direcionando os esforços para que as últimas chances de resgate sejam bem aproveitadas e que a maior parte dos espíritos, encarnados e desencarnados, possam se fazer merecedores de permanecer neste planeta, já que o processo de degredo espiritual (expulsão para outro planeta) é muito doloroso, por conta do enraizamento energético que o espírito cria com a morada divina ao qual habita.

De fato as ligações são muito fortes e chegam às entranhas dos corpos espirituais. Para melhor compreensão deste processo doloroso, basta raciocinar que em outros planetas existem outras composições de elementos (outro meio ambiente), e no caso dos planetas mais atrasados em relação à Terra, os elementos também serão de faixa vibratória inferior (mais agressivos). Logo alguns milhares de anos e muito esforço serão despendidos até que os corpos espirituais se acostumem e se adaptem às novas condições. O espírito passará por profundas transformações e isso é, sem dúvidas, extremamente penoso.

O ponto determinante que seleciona “quem fica” e “quem vai” é o nível de evolução espiritual e consciencial (Q.I. Espiritual) que cada um tenha. Sendo assim, para um breve entendimento, temos esses parâmetros:
Para quem permanecer na Terra a sensação será a inversa, pois além de já estar adaptado aos elementos aqui presentes, estará sendo envolvido por um ambiente vibracional mais sutil, que proporcionará alívio, ao invés de dor.

– Serão degredados aqueles que não tenham autoconhecimento e não respeitem ao próximo;

– Permanecerão na Terra, mas em condições bem desconfortáveis, aqueles que tenham autoconhecimento, ou que só respeitem ao próximo;

– Permanecerão na Terra em condições favoráveis aqueles que já tenham autoconhecimento e respeitem ao próximo, entendendo que estes indivíduos estarão nas condições ideais para acompanhar o passo da nova agenda de aprendizado que a Mãe Terra proporcionará.

A nova meta da agenda de aprendizado será a de conviver harmonicamente com os seres humanos e com toda a natureza. Isso implica em concretizarmos uma sociedade justa, com igualdade e que utilize os recursos naturais de maneiram totalmente responsável e sustentável.

O conteúdo desse último parágrafo está longe de se tornar uma realidade planetária, podendo ser necessário ainda alguns milênios para ser concretizado, mas o interessante é que ele não nos é desconhecido, porque já existem pessoas encarnadas que estão à frente de seu tempo e que vieram com a missão de plantar as sementes do amanhã.

Cientistas, ativistas, espiritualistas, professores, médicos e toda a sorte de espíritos encarnados progressistas, que independente de ter ou não uma religião, estão envolvidos no melhoramento da raça humana estão intimamente conectados ao regente destes tempos, pois carregamos a missão de comunicar a ética espiritual do novo milênio, à qual denominamos de Arcangelismo, pois é fundamentada nos Arcanjos, em especial no Poder do Arcanjo Miguel, regente da transição planetária.

Através do Arcangelismo foram revelados os dois Fundamentos e os sete Princípios Éticos que devem orientar o novo estágio da evolução humana, sendo que cada um desses princípios está ligado a um dos 7 Arcanjos e os descreveremos mais adiante.

Como ficou claro, é sob a regência do Arcanjo Miguel que o planeta Terra está saindo do estágio de um planeta de prova e expiação, passando pelo estágio de resgate e redenção, avançando para o estágio de regeneração e superação.

Também fica claro que no momento atual convivemos ao mesmo tempo com espíritos encarnados e desencarnados que não aprenderam com suas provações e estão resistentes a libertarem-se de seus “egos viciados”, assim como convivemos com aqueles que se colocaram em franco processo de remissão de seus erros e estão sendo ajudados, resgatados e encaminhados, além dos espíritos missionários que trazem as sementes da regeneração e mostram nas mais diversas áreas sociais que é possível viver sob uma nova ética, que seja mais elevada e pautada no conceito de que devemos conviver em harmonia.

Fonte.: Daniel Souza – O Arcangelismo – Ética Espiritual do Novo Milênio